Procure nos arquivos do P29BR

sábado, 27 de fevereiro de 2016

P29BR 29ER TEST / Experimentando com rodas 27.5+ e 29+

Uma única bike, diversas opções!

Os últimos dois artigos publicados no site dizem respeito à evolução das mountain bikes, com foco nos últimos avanços em geometria. Igualmente apresentamos e explicamos o conceito das rodas de perfil mais robusto conhecidas como Plus Size. Desta vez, para ir além, com base em toda informação publicada antes, vamos montar rodas 27.5+ e 29+ na bike de testes do P29BR e experimentar na prática se servem em nossa 29er, além de conferir o que muda em termos geométricos e de desempenho com elas.

Quem conhece nossa trajetória, sabe que o P29BR sempre buscou enxergar as novidades da indústria de bicicletas de uma maneira nada preconceituosa, sendo assim, ainda em 2007 o site assumiu o compromisso de difundir no Brasil o formato 29er, algo bem complicado naquela ocasião, uma tarefa dificultada tanto pela falta de equipamentos no mercado nacional, quanto pelo total desconhecimento de lojistas e consumidores. Hoje qualquer pequena bike shop e até supermercados, vendem as antes contestadas 29ers. Seguindo essa trilha de inovação, apareceram as mountain bikes com rodas de 27.5 polegadas ou 650B, como alguns preferem chamar. Apesar de inicio não encantarem o P29BR, elas tem de fato provado seus benefícios. Com a experiencia adquirida durante o processo de consolidação das 29ers, as fábricas puderam disseminar esse formato intermediário de uma maneira muito mais rápida e certeira, de modo que as mountain bikes tradicionais com rodas de 26 polegadas, antes uma unanimidade, praticamente desapareceram das linhas de produção nos modelos de performance dessas marcas.


Aqueles que acompanham nossa fan page no Facebook, já foram apresentados às rodas Plus Size há um certo tempo. Como explicamos antes, além das 29+, pensadas para o cicloturismo e consideradas a primeira encarnação do formato Plus, foram definitivamente as 27.5+ que impulsionaram a mais recente onda de novidades na industria de bicicletas. A razão? Uma roda 27.5+ montada em um aro com largura interna de 40mm e pneus de 3.0 polegadas teria um diâmetro externo muito parecido ao de uma roda 29 tradicional equipada com pneus de 2.3 polegadas, o que permitiria que uma 29er comum em teoria pudesse receber rodas Plus sem grandes ajustes ou prejuízos, já que sua geometria não seria afetada pelo intercâmbio de formatos, por isso a tendência do momento no mercado internacional são mountain bikes mais polivalentes, projetadas para serem compatíveis com mais de um formato de rodas, como as recém lançadas Santa Cruz Hightower e Ibis Mojo 3, para citar apenas duas entre várias outras. É sempre importante mencionar que praticamente a totalidade dos novos modelos Plus saem de fábrica com rodas padrão Boost 148 e suspensões Boost 110, com cubos de flanges mais largas e melhor suporte para os raios, como explicado em detalhes no post anterior do P29BR.

A conversão.

Em função de todo esse cenário, a escolha da 29er de testes do P29BR levou muito em consideração a viabilidade de uma conversão futura para o formato Plus, mas atenção, na prática, a similaridade entre o diâmetro externo das rodas 29 e 27.5+ não garante necessariamente que qualquer quadro de 29er seja compatível com as rodas mais largas, também conhecidas como Mid-Fat.

Aqueles modelos de mountain bikes originalmente projetados para receber rodas de 29 polegadas e pensados para um uso mais extremo, tem maior probabilidade de funcionarem também com as rodas 27.5 Plus, isso por conta do espaço interno entre os seus chain stays e seat stays. Em geral as 29ers compatíveis com pneus de até 2.4 polegadas de largura, são boas candidatas às rodas 27.5+, como é o caso da Specialized Enduro 29 do P29BR.

A maioria das novas bikes 27.5 Plus, como por exemplo os modelos da SCOTT, vem de fábrica com aros de largura interna de aproximadamente 40mm. Para que o leitor tenha uma ideia de proporção, uma roda VZAN Everest XC, muito popular no Brasil, conta com aros de tão somente 17mm de largura interna! Para uma conversão Plus bem sucedida a mínima largura interna de aro necessária seria de pelo menos 30mm, padrão coincidentemente adotado pela própria Specialized.

Para viabilizar nossa conversão, buscamos no mercado uma opção de rodas 27.5 com os mesmos 30mm de largura interna, aros mais largos poderiam tornar os perfis dos pneus Plus Size exagerados demais para a montagem em nossa Enduro Comp 29. As eleitas foram as Easton Heist 30 27.5, rodas de All Mountain com peso de apenas 1.790 gramas e um excelente custo-benefício no mercado internacional. As Heist contam com os tradicionais eixos de 142x12 na traseira e 100x15 na dianteira.


No caso dos pneus, a escolha recaiu sobre os modelos 27.5+ da mesma Specialized, o Purgatory para a dianteira e o Ground Control para a traseira, ambos na medida 27.5x3.0. A lógica aqui é que como a marca equipou suas novas bikes Plus 2016 com rodas montadas com aros de 30mm de largura interna, em teoria seus pneus foram desenhados para um desempenho ótimo com essa configuração.

Por outro lado, como a ideia era provar ao máximo o formato Plus e já que a Roval Traverse, roda original da Specialized Enduro Comp 29, também conta com aros de quase 30mm de largura interna, aproveitamos para montar nela um pneu 29+, que poderia eventualmente ser utilizado na dianteira da bike. É importante observar que da mesma forma que não se recomenda converter bikes 26 em 27.5, também não aconselhamos transformar uma 29er numa 29+ pura, sob pena de tornar o movimento central alto demais, além de ser praticamente impossível encaixar com sucesso uma roda 29 Plus na traseira da grande maioria das 29ers tradicionais.

Dimensões e compatibilidade.

Após montar os pneus em suas respectivas rodas, todos já convertidos para tubeless e inflados a 15psi (27.5+), 25 psi (29er) e 15psi (29+), medimos o diâmetro externo de cada roda e pudemos comprovar que, na prática, a roda 27.5+ apresentou uma circunferência um pouco menor que a 29er, contudo a 29+ é consideravelmente maior que ambas, sendo assim, fica comprovado que em termos de diâmetro externo, as rodas 27.5 Plus serviriam tranquilamente numa 29er normal.


Uma grande preocupação, o "clearance" traseiro, espaço livre entre o pneu Specialized Ground Control 27.5x3.0 e os seat stays da Enduro 29, é de apenas 4mm de cada lado. Isso a principio não chega a ser um problema, mas deixa clara a importância de manter essa roda sempre alinhada, caso contrário o pneu poderia raspar no quadro. Depois de montado no aro da Easton, o Ground Control mediu 74.5mm de largura em seu ponto mais exterior, praticamente as 3 polegadas nominais impressas em suas laterais.


Na dianteira, com uma Rock Shox Pike 29 com 160mm de curso, a preocupação em relação ao pneu Specialized Purgatory 27.5x3.0 é mais uma vez o espaço entre os seus cravos e a lateral de cada uma das bengalas da suspensão, igualmente cerca a 4mm. Assim como o Ground Control traseiro, este Purgatory mediu os mesmos 74.5mm de largura. Caso estivéssemos usando uma Pike 27.5, o pneu estaria posicionado proporcionalmente mais para dentro do arco da suspensão, sendo provável que houvesse um pouquinho mais de "clearance" lateral.


Caso a opção seja o Panaracer Fat B Nimble 29x3.0 como pneu dianteiro, a atenção deve estar voltada para o espaço entre seus cravos e o topo do arco da suspensão, apenas 3 mm. Já em relação às suas laterais, o espaço livre é relativamente menos crítico, são 8mm de cada lado. É importante notar que o pneu 29+ é mais sensível à escolha do aro, medindo apenas 67.7mm depois de inflado, algo como 2.7 polegadas, no aro Traverse de apenas 30mm internos da Specialized.


O P29BR também experimentou os mesmos três pneus em uma suspensão de XC, uma Fox Float 29 de 100mm de curso, nesse caso, surpreendentemente tanto o espaço superior, quanto o lateral,  medidos em relação a ambos os pneus (27.5+ e 29+), se mostraram um par de milímetros mais folgados.

Geometria e peso, o que mudou.

A 29er: A Specialized Enduro Comp 29 original é dona de uma geometria bastante interessante, com um ângulo de direção relaxado, são 67.5 graus, e o tubo do selim bastante empinado, com 75 graus de angulação efetiva, além de chain stays curtíssimos. O movimento central está a 351mm de altura em relação ao solo e a distancia entre eixos é de 1163mm. Já falamos sobre geometria de maneira detalhada anteriormente, entretanto, resumindo esses números, temos uma bike excelente nas descidas e ao mesmo tempo eficiente nas subidas, com grande performance em curvas e trechos técnicos. Para ser perfeita só faltava um top tube um pouquinho mais amplo. Com pedais Crank Brothers Mallet, seu peso total é de 14.20 Kg.


A 27.5+: Em termos de geometria, a única alteração na Specialized Enduro Comp convertida para 27.5+ é o movimento central quase 8mm mais baixo, o que eventualmente pode fazer com o que pedivela encoste no solo em algumas situações, mas ainda assim é uma característica benéfica em termos de desempenho geral, o fato de apresentar um centro de gravidade mais baixo é bem interessante, principalmente nas curvas. No conjunto, a bike ganhou 95 gramas em função dos pneus de cerca de 1Kg cada um, entretanto não é nada que possa prejudicar seu desempenho.


A híbrida 29+/27.5+: Já a Specialized Enduro Comp híbrida, com roda dianteira 29+ e 27.5+ na traseira, teve seus principais ângulos diminuídos em 1 grau com essa montagem, são 66.5 graus na direção e 74 no tubo do selim. O central está apenas 4mm mais baixo que o original, já a distância entre eixos cresceu 5mm. Como resultado, uma bike ainda mais estável nos trechos de downhill, capaz de engolir os piores obstáculos, contudo a roda dianteira é tao grande e alta que o piloto sente claramente uma diminuição na capacidade de manobra.


Mas e a tração? Na verdade o ganho em tração com os pneus 3.0 em ambos os formatos é dramático, notado desde a primeira pedalada, contudo o mais interessante é perceber na prática que as bikes Plus oferecem realmente o melhor balanço entre largura de pneus e performance, a ponto de que praticamente não existam perdas nas subidas por conta de um suposto aumento no arrasto e que os ganhos nas demais situações sejam cristalinos.

Por que 27.5+?

Você pode estar pensando que se as 27.5+ são tao boas, por que os profissionais não estão usando esse tipo de bikes? Entres os PROs a habilidade e o nível físico são altíssimos, esse tipo de piloto não necessita de atalhos técnicos para vencer os trechos mais difíceis de um circuito, logo um equipamento mais leve ou um pneu mais estreito, aquele que possa render alguns watts a mais de potencia no final, podem fazer a toda a diferença. Para os demais tipos de pilotos, pedalar uma 27.5 Plus é uma experiência incrível, algo que pode expandir seus horizontes de uma maneira impressionante.

Pessoalmente, a bordo de uma 27.5+ me sinto capaz de encarar alguns desafios que antes às vezes pareciam além da minha capacidade técnica. Costumo dizer as bikes com rodas Plus Size deveriam vir de fábrica com um aviso igual aos dos maços de cigarro, algo do tipo "pedalar uma 27.5+ pode fazer mal à sua capacidade de discernimento na trilha". Fiquei tao viciado no formato Plus que quando pego outras mountain bikes para pedalar não sinto a mesma segurança. Com a Specialized Enduro Comp 27.5+ passei a ser menos cuidadoso na escolha das minhas linhas, simplesmente porque a suspensão de longo curso e os pneus Plus Size papam tudo que vem pela frente, mas subidas os pneus largos e a dose extra de tração não me atrasam, ao contrário, me permitem escalar as piores paredes, nos trechos técnicos ficou mais fácil segurar a bike, além disso nas curvas a mudança de direção é rápida e a bicicleta raramente escapa, como se estivesse andando sobre trilhos. Esse tipo de bike brilha em 95% das condições que um piloto pode enfrentar no seu dia a dia de rodadas, não sendo talvez a melhor opção apenas em situações de muita lama.


Para ilustrar o quanto essa conversão para 27.5+ me fez "mal", tenho uma pequena história. Recentemente estive na Espanha e decidi pedalar em Málaga, nas (dificílimas) trilhas que foram palco de uma etapa do EWS-Enduro World Series. Nessa viagem não levei minha bike, então tive que alugar por lá uma Giant Trance 27.5. Numa das partes mais técnicas da pista, por minha displicência em escolher uma boa linha, além do fato de estar usando pneus já gastos e com "somente" 2.2 polegadas de largura, acabei tomando um róla forte, uma queda que poderia ter me custado muito mais caro que mais uma cicatriz no rosto. Tenho total certeza que se estivesse com minha Specialized Enduro Comp 27.5+ nesse trecho, ele não teria ficado na minha memória, nem marcado na minha cara para sempre.

Quer converter sua 29er? Tem dúvidas sobre o que fazer? Escreva para o P29BR, vai ser um prazer ajudar a difundir também o formato Plus, como já fizemos antes com as 29ers.

Keep 29eriding!

21 comentários:

  1. Adorei o post. Imagino o trabalho que deu fazer tudo isso. Pessoalmente acho que o que vc mais gostou foi do estilo enduro. Nada como meter a bike na piramba e atropelar tudo que é buraco, raiz ou pedra! eheheheh

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala Mosca SS,

      Valeu por acompanhar o P29BR, há 4 meses estou produzindo essa matéria. Realmente deu trabalho, mas se vocês leitores gostam e se interessam, tudo vale a pena.

      Abs,

      Adil

      Excluir
    2. parabéns pela matéria, tenho interesse em fazer a conversão de minha SPZ Rockhooper para 27,5 plus mas com os pneus 2.8 que são os mesmos usados pela novas bike Scott 27,5 plus, contudo fica difícil a aquisição dessas peças por causa do Dollar alto fora a tributação...
      Em comparação as FatBike que vc testou o que vc pode dizer das 27,5 plus?

      Excluir
    3. Olá amigo,

      As Fat Bikes em geral são bicicletas divertidas, mas se você busca desempenho, a escolha natural seria uma Plus.

      Abs,

      Adil

      Excluir
  2. Fiquei imaginando mais uma possibilidade de configuração: 27,5+ na roda traseira e 29 simples na dianteira. Configuração "similar" ao motocross. Teríamos com isso uma boa tração traseira e talvez uma maior agilidade na dianteira, mantendo a boa capacidade de transpor obstáculos. Seria viável?!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Elio,

      Teoricamente seria viável, mas adianto que se tivesse que escolher, colocaria a roda plus na dianteira, contudo o ideal para uma bike cujo motor são as pernas do piloto, seria Plus tanto na frente quanto atrás.

      Abs,

      Adil

      Excluir
  3. Foi comprovado que as 27,5 são piores que as 29´´ e 26´´, tanto nas descidas quanto nas subidas, essa alteração proposta não é compatível com a geometria específica da bike, muda o centro de gravidade e etc. Nunca farei uma mudança para pior!

    ResponderExcluir
  4. Muita coincidência. Estava pesquisando muito sobre o assunto na sexta-feira passada e fiquei pensando se esta converão funcionaria bem com a Camber. Pergunto isso pelo investimento pois hoje encontramos Camber 2015 sendo vendidas por 5.500 novinhas (pouco usadas, modelo de entrada)...investir numa Enduro além de difícil encontrar, ficaria mais caro. Meu propósito seria meramente recreativo: já tive Camber e gostei muito. HOje Tenho uma Fatboy e gosto muito do grip. Pra Enduro tenho uma GT Sanction Pro com uma configuração matadora...o que eu queria era ter o melhor dos dois mundos (fat/Enduro) em uma só...mas sem grandes pretenções de performance....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Flavio,

      Conforme já conversamos por e-mail, a conversão provavelmente funcionaria com a Camber, provavelmente usando um pneu 27.5x2.8 na traseira, contudo o modelo de entrada com amortecedor X-Fusion deixa um pouco a desejar em desempenho.

      Abs,

      Adil

      Excluir
  5. Adil, algum post sobre essa nova SRAM XX1 Eagle? Será que 1x12 é mais vantajoso do que uma 2x10 ou 2x11? Esperando por post seu sobre isso :) Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Jorge,

      Infelizmente o blog não tem budget para organizar um teste com o Eagle, mas pela amplitude do cassette, creio que seja a transmissão definitiva para o MTB. Eu esperaria alguns meses para comprar até que a tecnologia estivesse integrada às linhas mais acessíveis da SRAM.

      Abs,

      Adil

      Excluir
  6. Adil, sou dono de uma Caloi Explorer 29 e gostei dessa opção de rodas 27.5 plus. Voce conseguiria fazer um teste igual ao da reportagem para essa Caloi?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala Ale,

      No momento estou fora do Brasil, então fica difícil fazer esse teste, mas tenho praticamente certeza que não há espaço nos stays traseiros para montar pneus Plus size, além do que a bike poderia ficar ainda mais pesada.

      Esse tipo de conversão vai funcionar principalmente para bikes de Enduro/All Mountain.

      Abs,

      Adil

      Excluir
  7. Olá Meu Amigo!
    Mais uma vez por aqui. O que eu devo comprar (listinha) para esta conversão. no caso de uma bike SPZ Stumpjumper 29 Full para 27 Plus? Obrigado !!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala Evandro,

      Você teria que adquirir um par de rodas 27.5 com aros de pelo menos 30mm de largura interna e os pneus, de preferência 27.5x2.8. É tudo.

      Abs,

      Adil

      Excluir
  8. Adil, no caso das 27.5+, posso por roda 29er normal sem nenhum prejuízo?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Carlos,

      A grande maioria das bikes 27.5+ preveem o uso de rodas de 29 polegadas como alternativa. O "prejuízo" seria o central e os eixos uns milímetros mais altos, ainda que nada impeditivo.

      Abs,

      Adil

      Excluir
  9. Olá, parabéns pela bela matéria....vendo esse esse artigo, e lembrando do que li em sua materia sobre o garfo de carbono da Niner, fiquei imaginando que poderia ser uma boa configuração utilizar uma hardtail com rodas 27,5 plus + garfo de Niner. Será que o garfo comporta um pneu 2.8? O que você acaha?

    Abs,
    Edson

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Edson,

      Creio que o garfo Niner funcionaria com um pneu 27.5x2.8.

      O problema da hardtail é que o quadro teria que contar com espaço suficiente na traseira para a roda/pneu Plus size. Se for um quadro de XC, seguramente não serviria.

      Abs,

      Adil

      Excluir
  10. Olá, muito boa a matéria. Tem alguma loja aqui no BRASIL que vende as rodas e os pneus para a conversão de uma 29 rígida em 27,5+. Vale a pena converter uma rígida? Obrigado

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Frede,

      Você poderá conseguir pneus 27.5 Plus nas revendas da Specialized. No caso das rodas, creio que seria mais difícil comprar no mercado nacional, de todas as formas você pode procurar uma que possua aros com pelo menos 30mm de largura interna, a própria Specialized pode eventualmente ter alguma disponível.

      Sim, valeria muito a pena converter uma rígida, entretanto se o seu for um quadro de XC, provavelmente não exista espaço suficiente entre os chain stays e seat stays para montar uma roda/pneu Plus size.

      Abs,

      Adil

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Postagens Recentes no P29BR