Procure nos arquivos do P29BR

segunda-feira, 30 de setembro de 2013

P29BR 29ER BIKE TEST / Caloi Elite 30 - A Transmissão

"O Caso do Cage Médio": justificativas, implicações e soluções.

Há exatos quatro anos, mais precisamente em setembro de 2009, o P29BR publicava o primeiro teste tendo a Caloi Two Niner como protagonista. De lá para cá, continua a impressionar a maneira como o assunto "Caloi" gera interesse e fomenta discussão entre os leitores. Ainda hoje esse mesmo post segue como um dos mais acessados, lidos e comentados do site. O principal tema dos comentários envolvendo a Two Niner dizia respeito ao design do quadro, uma questão de amor ou ódio por parte do público consumidor da bike.

O ano de 2013 chegou e junto com ele a linha de 29ers da Caloi. Desde sua apresentação, a Elite 30, principal modelo com quadro em alumínio da marca, parecia fadada ao sucesso por conta de uma aparente relação interessante entre custo e benefício, aliada a um quadro com grafismo atual e componentes das respeitadas Crank Brothers e Fizik.


De fato, comercialmente a bike parece ir bastante bem, contudo, assim como acontecia com sua antecessora, de forma proporcional às vendas do modelo, a Elite 30 é também uma fonte geradora de acaloradas discussões. A questão do momento não tem nada a ver com a aparência do quadro como acontecia com a Two Niner. Hoje, o principal ponto de discórdia é funcional, sendo assim, antes de publicar as impressões finais sobre a Elite 30 e a 20, o P29BR preferiu mudar o foco, abordando e desmistificando o assunto que está na boca de 9 entre 10 proprietários das novas 29ers da marca: a configuração da transmissão de 30 velicidades adotada pela Caloi para a Elite 30. Com um título digno dos romances policiais da genial Agatha Christie, acompanhe agora o "O Caso do Cage Médio".

Nossa história começa com uma escolha. A transmissão SRAM eleita pela Caloi para a Elite 30 é composta, entre outros componentes, por um pedivela triplo 44-33-22, cassette 11-36 e câmbio traseiro X-7 com o discutível cage médio. A título de informação, cage é a estrutura onde estão montadas as duas roldanas no câmbio traseiro.

Aos olhos do desavisado, num primeiro momento o conjunto parece interessante, entretanto trata-se de um arranjo que, na prática, pode acarretar inconvenientes reais ao piloto se o mesmo eventualmente cruzar as marchas, ou seja, caso utilize a combinação de coroa pequena e pinhões menores, a corrente trabalhará frouxa, pois o dito cage médio do câmbio não será capaz de mantê-la esticada como esperado, por outro lado, se o proprietário tentar modificar esse comportamento indesejado, encurtando a corrente original da bike, o ato de pedalar com coroa e pinhão maiores pode ser fatal para a gancheira, para o câmbio traseiro e até mesmo para sua própria integridade física na trilha.

Levando-se em consideração a superficial literatura disponível no site da SRAM, sua conservadora tabela de recomendações de compatibilidade entre os diversos componentes de transmissão da marca não aconselha a utilização de um câmbio de cage médio em associação com um pedivela triplo ou cassette 11-36, contudo não avaliza igualmente a combinação desse mesmo câmbio com pedivela duplo e cassette 11-36, configuração utilizada em dezenas de modelos de mountain bikes mercado afora.


Basicamente, a escolha do câmbio traseiro deveria levar em conta a "capacidade total" requerida pelo arranjo pedivela/cassette, que pode ser entendida como a diferença entre o número de dentes da coroa grande e da coroa pequena do pedivela, acrescida da diferença entre o número de dentes do maior e menor pinhões do cassette. No caso da Elite 30 essa conta seria (44-22)+(36-11)=47. Em teoria, um câmbio com capacidade total inferior a 47 não seria capaz de manter a corrente devidamente esticada em todas as combinações de marchas disponíveis. A título de informação, o câmbio traseiro X-7 tem capacidade total 39 na versão com cage médio e 45 com cage longo (em algumas fontes, o número 47 aparece também associado à versão de cage longo).

Antes de tecer qualquer comentário a respeito do assunto, o site julgou prudente ouvir a palavra oficial da própria Caloi, que por intermédio do responsável pelo departamento de Inovação e Design, Diogo Porto, recebeu o P29BR nas instalações do Centro Tecnológico e Logístico da empresa na cidade paulista de Atibaia. Diogo, que já atuou na fabricante de componentes FSA e em grandes fábricas de bicicletas de Taiwan onde viveu por alguns anos, começou a entrevista mostrando a composição das equipes e os processos envolvidos desde a concepção de um novo modelo de bike, até definição de preços e componentes. Falando especificamente sobre a escolha do tamanho do cage do câmbio que equiparia a Elite 30, explicou que tudo começou com um estudo de capacidade total de ambas as versões (cage médio e cage longo) do câmbio traseiro aplicado a cada uma das combinações possíveis de marchas, assim identificaram a relação de marchas que estaria fora da capacidade de cada um dos tipos de câmbios. No caso do X-7 de cage médio, seriam os 5 menores pinhões combinados com a coroa pequena e mais os 3 maiores pinhões combinados com a coroa grande. Por outro lado, para o cage longo, apenas os dois cruzamentos extremos excederiam em teoria a capacidade total nominal do câmbio. Partindo dessa relação de marchas fora da capacidade do câmbio de cage médio, os engenheiros da Caloi efetuaram uma comparação com uma tabela de "gear ratios", ou relações de transmissão. Então notaram que várias dessas 8 combinações se repetiam ou, pelo menos, estavam muito próximas de outras marchas dentro da capacidade total do câmbio.

Segundo a Caloi, a opção pelo câmbio de cage médio está estritamente ligada à performance, permitindo trocas mais rápidas. O cage está mais distante do solo e protegido, é mais leve e não deixa de atender o piloto em termos de relações de marchas efetivamente utilizáveis. Para completar, usaram um diagrama de forças vetoriais demonstrando que o cage médio oferece uma melhor transferência de potência e gera menor desgaste na corrente. Antes da decisão final, a fábrica diz ter realizado ainda um estudo de mercado e percebido que outras marcas também ofereciam bikes com a mesma configuração de transmissão.

Como o P29BR reapresentava os leitores nessa entrevista, nenhum tema poderia ficar no ar, por isso, antes de encerrar foi inevitável questionar a Caloi se havia algum peso comercial nessa decisão, por exemplo, um lote de câmbios de cage médio adquirido a condições vantajosas pela fábrica, suposição que a marca se apressou a veementemente rechaçar. Em resumo, por considerar a Elite 30 como uma bike de performance, independentemente do preço e do segmento onde se insere o modelo, a marca reiterou sua opção, dita consciente, pelo cage médio no câmbio traseiro.


A linha de raciocínio da Caloi parece seguir a mesma lógica que prega Sheldon Brown (http://sheldonbrown.com/gloss_ca-g.html). O reconhecido especialista em bicicletas afirma em seu site que: "Pilotos mais experientes e qualificados podem com facilidade utilizar uma transmissão configurada com câmbio traseira de capacidade total bem menor que a recomendada, visto que não abusariam dos cruzamentos de marchas na coroa pequena e pinhões menores, por isso faria pouca diferença o fato da corrente não estar suficientemente tensionada nessas combinações específicas de marchas".

Justificativas postas, o P29BR é capaz de compreender as razões da escolha da Caloi, sem necessariamente concordar que a opção pelo cage médio tenha sido a mais satisfatória, ou talvez, prudente.

Na realidade, apesar da Elite 30 ser a 29er top de linha da Caloi com quadro em alumínio, por conta de preço, a bike disputa mercado com modelos intermediários da concorrência, isso significa que seu público consumidor está longe de ser composto apenas por pilotos experimentados que buscam a dita performance sem investir muito. Certamente deve estar incluída aí uma parcela considerável de entusiastas, gente que talvez no momento da compra nem saiba o que significa o termo "cruzar as marchas". Só por isso, já faria sentido a opção pelo cage longo.

Na prática é difícil imaginar, ou mesmo mensurar, um suposto ganho real em termos de transferência de potência com a configuração original da transmissão da Elite 30. Seria essa uma vantagem suficiente para suplantar os inconvenientes decorrentes da corrente frouxa? O P29BR acredita que não. A corrente de fato deve sofrer menos stress e ter a vida útil aumentada quando combinada com o câmbio de cage médio. Ao contrário, esse câmbio traseiro, componente definitivamente mais caro que a corrente, em função do mesmo cage médio pode trabalhar muito mais tempo no limite na bike da Caloi, tendo como consequência o encurtamento de sua durabilidade.

Pelo entendimento da Caloi, não faria sentido o consumidor reclamar do fato de não poder utilizar todas as 30 marchas na transmissão 3x10, o que não deixa de ser uma verdade, contudo o site acredita que a principal queixa dos consumidores não é essencialmente essa.

Apesar de uma transmissão de 30 velocidades apresentar de fato marchas "repetidas", como o próprio P29BR já mencionou no artigo "Em busca da relação perfeita. Um tratado sobre a transmissão da sua 29er", isso não significa que aqueles que investiram, mais de 4.000 Reais na bike, não se incomodem em pedalar o modelo com um câmbio traseiro incapaz de tensionar por completo a corrente em algumas situações de uso, mesmo que esse comportamento só ocorra em cruzamentos de marcha não recomendados, mas absolutamente passíveis de acontecer no mundo real, seja o piloto experimentado ou não.

Por fim, o site não encontrou no mercado outra bike de linha de outra marca com a mesma configuração de transmissão que a Elite 30.

Epílogo

O capítulo final de nossa história poderia se encerrar com um pequeno conto.

Imagine que você, Paulo Consumidor da Silva, tenha que se deslocar de São Paulo a Salvador para um compromisso profissional. Sua patroa, Maria Caloi de Oliveira, uma bem intencionada pessoa, verdadeiramente preocupada com seu bem estar, ao invés de reservar uma passagem de avião, resolveu que você fará de ônibus a viagem, não por questões financeiras, mas porque sob a visão dela as viagens rodoviárias são mais vantajosas. Para você, voar faz muito mais sentido, entretanto no momento de escolher o meio de transporte, ela talvez não tenha levado em consideração os mesmos pontos que você. Tanto Paulo, quanto Maria, tem suas verdades. Das duas maneiras você chegará à Bahia, contudo talvez não desembarque tão satisfeito em Salvador caso tenha mesmo que viajar de ônibus.

Em resumo, se a Caloi tivesse adotado uma postura, digamos, mais "regular" ou "básica", escolhendo um câmbio traseiro de cage longo, provavelmente a transmissão da Elite 30 teria passado incógnita e o P29BR nem estaria aqui escrevendo esta matéria especial.



Upgrade ou não upgrade, eis a questão.

Como conviver com o câmbio de cage médio

A primeira e principal dúvida daqueles que pensam em adquirir uma Caloi Elite 30 tem a ver com um desejável, mas não obrigatório, upgrade de câmbio traseiro.


Com pequenos ajustes, é possível conviver em relativa harmonia com a transmissão original da bike, mesmo cruzando eventualmente as marchas.

Vamos a eles:

1. Conte quantos pinos tem a sua corrente. Para facilitar, comece e termine a contagem sempre a partir do PowerLock, o link de cor ligeiramente diferente utilizado para conectar os elos extremos da corrente. No exemplar de testes da Elite 30 recebido pelo P29BR, a corrente original SRAM PC1031 tinha 112 pinos.


2. Abra o PowerLock. Depois de utilizado, a SRAM recomenda que o link do tipo PowerLock não seja reaproveitado, contudo na prática existem alicates das boas marcas de ferramentas que permitem a abertura do link e posterior reaproveitamento do mesmo.


Como alternativa, você poderia usar um alicate de baixo custo entortando as pontas para dentro, similar a este do P29BR.


3. Deixe a corrente com 110 pinos. Com o auxílio de uma chave de corrente, retire dois elos. O P29BR fez vários experimentos e chegou à conclusão que os 110 pinos ofereceriam o melhor balanço entre desempenho e funcionalidade para a transmissão original da Elite 30.


4. Reconece a corrente com o auxílio do mesmo PowerLock. Pode ser necessário um pouco de esforço para encaixar completamente o link, mas nada exagerado. Uma força nos pedais com os freios travados deve resolver.

5. Elimine a folga na corrente com o ajuste do B-Tension. Com a corrente posicionada na coroa pequena e no menor pinhão, gire o parafuso no sentido horário até que a corrente esteja minimamente esticada.


O parafuso em questão serve na verdade para regular a altura entre a polia superior do câmbio e o pinhão maior do cassette, sendo recomendável numa condição ideal que essa distância seja a mínima possível, de modo que os dentes do pinhão não toquem a polia. Deve-se observar que o artifício de utilizar o parafuso do B-Tension para remover a folga da corrente, por outro lado, verticalmente afasta a polia do câmbio dos dentes do cassette, o que em teoria poderia resultar em trocas menos rápidas.


6. Confira todos os cruzamentos de marchas e sua transmissão estará pronta.


Na prática, após um mês inteiro de abuso e inúmeros cruzamentos propositais, a transmissão da Elite 30 continua funcionando bem, sem perda aparente de desempenho e, principalmente, agora sem folgas visíveis de corrente ou riscos de quebras, dispensando a necessidade da troca imediata do câmbio traseiro. Lembrando uma vez mais que como em toda transmissão de 30 velocidades, esses cruzamentos extremos de marchas devem ser evitados, sob pena de desgaste prematuro do sistema.

Partindo para o upgrade


Como não há unanimidade em relação à escolha do tamanho do cage, o P29BR vem recebendo inúmeros questionamentos a respeito de upgrades para a transmissão da Caloi Elite 30. Apesar da troca do câmbio traseiro ser o movimento mais óbvio, surgem outras opções que podem afetar de maneira ainda mais positiva o desempenho do conjunto. Vamos a três delas:


Componente: Câmbio traseiro SRAM X-7 de cage longo.
Preço: Em torno de 350 Reais.

 
Vantagens: Com capacidade total equivalente à requerida pelo conjunto de pedivela e cassette originais da Elite 30, o câmbio de cage longo seria a opção "top of mind" em termos de upgrade. O cage mais comprido seria naturalmente capaz de tensionar a corrente através de todas as combinações possíveis de marchas.
Desvantagem: Continuar com uma transmissão de 30 velocidades.


Componente: Jogo de coras duplas Session Brasil de 36 e 24 dentes.
Preço: Em torno de 355 Reais.


Vantagens: A praticidade de uma transmissão 20 velocidades com a simples substituição das três coroas originais por duas outras de alumínio.

O P29BR costuma repetir que em transmissões 3x10, ou se preferirem, de 30 velocidades, MAIS É MENOS, isso por conta de 6 a 8 marchas "repetidas" e  dos já discutidos cruzamentos desaconselháveis. Ao contrário, para as transmissões 2x10, MENOS É MAIS, pois o piloto, se necessário, pode utilizar de todo o leque de 20 marchas disponíveis, com trocas mais precisas, melhor escalonadas e menor possibilidade de falhas envolvendo a operação do câmbio dianteiro.

Por falar nisso, em relação à escolha de um pedivela de 9 velocidades para a bike, o site partilha da mesma opinião que Lennard Zinn, autor de diversos livros sobre bicicletas e consultor técnico da Velonews, ou seja, o fato de todo o resto da transmissão da Elite 30 contar com componentes feitos para 10 velocidades, como a corrente e o câmbio dianteiro, garante compatibilidade e um funcionamento satisfatório do conjunto, desde que ajustado de forma correta.

Mesmo não sendo específico para sistemas 2x10, o câmbio dianteiro X-7 de abraçadeira alta da bike se comportou bem com apenas duas coroas. Para esse tipo de configuração, o câmbio traseiro de cage médio é perfeito.

Finalmente, a opção pelo jogo de coroas duplas de alumínio representa ainda uma economia de peso na ordem de quase 150 gramas numa comparação com as originais.
Desvantagem: Para complementar a substituição das coroas, o ideal seria também a adoção de um câmbio dianteiro do tipo 2x10, contudo o X-7 3x10 da bike não decepciona, apesar de sua regulagem se mostrar um pouco mais trabalhosa quando em associação com um pedivela de dupla coroa.


Componente: Pedivela duplo SRAM X-5 GXP com coroas de 39 e 26 dentes.
Preço: Em torno de 750 Reais.


Vantagem:
Contar com um pedivela de eixo integrado específico para 20 velocidades, além da praticidade e maior largura do central de rosca GXP com os rolamentos externos à concha do central.

Conjunto pedivela/central mais leve que o original.

Existem no mercado muitas outras opções em termos de pedivelas, mas para manter a coerência, nesta análise julgamos preferível seguir com a linha SRAM.
Desvantagem: Transmissão 15% mais pesada na marcha mais leve, o que pode dificultar a vida de alguns, ainda que com o uso essa dificuldade inicial seja suplantada pelo desempenho geral do conjunto.

Keep 29eriding!

81 comentários:

  1. Olá Adil,

    Boa matéria. Sempre profissional. Realizei uma dupla correção. Instalei um Câmbio Traseiro X5 de Cage Longo e um Pedivela duplo SRAM X-5 GXP com coroas de 39 e 26 dentes. Com as rodas Evereste XC que já tinha instalado, creio que a bike ficou com uma ótima configuração.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. com esse dinheiro que gastou em transmissão e rodas, com certeza iria comprar uma bicicleta muito melhor, com geometrias muito melhores e com muito mais qualidade, impressionante como essa caloi só pensa em preço e não qualidade

      Excluir
    2. Cara, eu iria fazer o upgrade do jogo de rodas em qualquer bike, nacional ou importada. Quantas importadas vem com um jogo de rodas com o Everest XC? E depois qualquer um de nós sempre atualiza alguma coisa na bike. A diferença é que com a Caloi você já tem um conjunto com alguma competência, mas com um valor de partida mais baixo. Também creio que o cage deveria ser longo, mas eu sigo em frente. Se eles mantiverem esta postura para os próximos lançamentos, compro de outros fabricante.

      Excluir
    3. Ter de fazer obrigatoriamente upgrade de câmbio traseiro e rodas num a bike de 4 mil reais é mesmo o fim do mundo!

      O pior de tudo é ter o nome "Caloi" escrito no quadro, um nome que traz a maior desvalorização dentre as bikes da mesma categoria (faixa de preço) além de grande rejeição por parte de usuários experientes.

      Resumindo: a Caloi Elite 30 é uma bike para noobs, para amadores.

      Ass: ZOK

      Excluir
  2. Eu não acredito que a Caloi se pronunciou desta forma. Poxa, precisamos entrar com uma ação em conjunto contra a marca, para exigir um recall ou algo parecido e trocar este câmbio. Não é possível que algo assim fique por isso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo. Já perdi 2 câmbios X7, um a Caloi mandou outro na garantia, o outro tive que pagar do bolso. Está errado isso ai.

      Excluir
    2. Claro que está errado! A Caloi está tratando os consumidores da marca como trouxas que não sabem pilotar uma bike em um mero "single track". Uma empresa séria teria feito "recall" do câmbio traseiro pelo menos, não estou nem mesmo mencionando rodas e pedivela.

      Pilotar uma Caloi Elite 30 com este "cage" médio original numa trilha pesada não é simplesmente um suspense de Agatha Christie mas sim um filme de terror, no estilo Sexta Feira 13.

      ZOK

      Excluir
    3. Já Cansei de mandar e-mails para CALOI a respeito desse problema do cage médio ..Mesmo provando essa incompatibilidade pelo demonstrativo no gráfico Da SRAM , a firma não toma as devidas soluções ..,DEVEMOS SIM , AQUELES QUE SE SENTIREM LESADOS E ABANDONADOS PELA CALOI AINDA NA GARANTIA , FAZER QUEIXA NO PROCON ,E ATÉ NAS PEQUENAS CAUSAS..CALOI RESPEITE SEU CONSUMIDOR , POIS ELE É O SEU MAIOR CONTROLE DE QUALIDADE FINAL ......LUIZ

      Excluir
  3. Parabéns pela matéria Adil, quanto aos consumidores, só digo uma coisa: se tivesse saído da fábrica com a marca canondale, não haveria (ou talvez não tantas) reclamações. a marca estaria lançando tendência, forçando os consumidores a usar corretamente a relação de marchas da bicicleta.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Parabéns anônimo, nós brasileiros(nem todos é claro) gostamos de fazer dos nossos produtos uma M....
      Muitos compram os OEM da vida e se acham.
      Seu comentário foi pontual e vamos à realidade, quem compra um produto 100% configurado da forma como queremos? Sempre trocamos alguma coisa(não justificando o fórum acima) pra deixar do nosso gosto!.
      Mesmo tendo este detalhe, nossa caloizinha tá mandando muito bem!!!

      Excluir
  4. Reclamam de tudo,principalmente dos produtos nacionais, se fosse uma empresa gringa que estivessem apresentando uma marca nova de canote, que não precisaria de selim muita gente estaria usando sem reclamar e dizendo, é inovação coisa top.
    Mau de brasileiro, não dar valor aos produto da casa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quem gosta de lixo é catador de latinha.

      A Caloi Elite 30 vem "equipada" com a poderosa caixa de direção Shin Haur de 23,00 reais.

      Nem mesmo uma caixa Neco de rolamento a Caloi teve a decência de usar neste modelo "top" de linha em quadro de alumínio.

      ZOK

      Excluir
    2. Gosto é gosto ! Tem idiota que compra Scott e Specialized com Alivio por $ 5.000 e acha que fez um negociao ! Ze Ruela perna Bamba !

      Excluir
  5. Olá, Adil.
    Novamente esclarecedora matéria, que vai além da marca Caloi.
    Também gostaria de saber onde adquirir as duas coroas Session Brasil (de preferência na relação 24/38) para um pedivela Sram X0.
    Obrigado pelas informações.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Adil, matéria sensacional! Tb quero saber onde conseguir essas coroas pra fazer a adaptação aqui.

      Excluir
    2. Olá pessoal,

      Obrigado por acompanhar o P29BR!

      A Session Brasil pede que os interessados em adquirir o jogo de coroas duplas de alumínio entrem em contato direto com eles através dos seguintes meios:

      PABX +55 11 2619-7074
      Informações sobre peças e vendas – Vendas@sessionbrasil.com
      Atendimento ao consumidor – Sac@sessionbrasil.com

      Abs,

      Adil

      Excluir
  6. Nunca vi uma desculpa tão esfarrapada. Quer dizer que a Caloi considera essa bike o "State of The Art" para chegar a pensar num detalhe ínfimo desse de desempenho de usar o cage médio que segundo ela deixa a mudança mais rápida. Embora qualquer pessoa que entenda de engenharia sabe que é mentira.

    Mas o mais impressionante é a quantidade de fan boys que a Caloi tem.

    É por isso que o consumidor brasileiro é tratado feito lixo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não estou aqui pra defender marcas, e sim nosso escasso nacionalismo, porque tudo que vem de "cima" pra dizer de fora tem mais apelo e respeito.
      Obrigado pela consideração e respeito as opiniões contrárias ao seu ponto de vista.

      Excluir
    2. Este lance de ser "fanboy" da Caloi é uma medida de autopreservação. A Caloi já é naturalmente uma marca que tem forte desvalorização, se os caras que compraram a Elite 30 resolverem ser honestos e sinceros aí que a bike não vai valer 50% do valor de compra original.

      É preciso acreditar que a Caloi não errou, assim na hora da revenda a bike não desvaloriza tanto.

      É triste viver de ilusão.

      ZOK

      Excluir
  7. Engano seu. Eu acho que todo mundo critica o produto independentemente de sua origem. E no caso da Elite 30 deve se criticar mesmo, justamente pelo fato da empresa ser nacional, fazendo com que dessa forma nós tenhamos empresas melhores aqui no Brasil. Não acho que nacionalismo seja aceitar erros e ficar quietos somente pelo fato da empresa se nacional. E diga-se de passagem ela é nacional só no CNPJ e isso antes de ser comprada pela Dorel. Pois tinha um CNPJ nacional, mas o quadro compram na China sem fazer nenhum projeto nacional e sem gerar emprego na fase de projeto e as peças são advindas dos EUA e outras partes do mundo. Literalmente a Caloi virou uma montadora, termo esse que gostam de usar na indústria automobilística nacional. Se falar que a Caloi fez lobby para aumentar o preço das importadas, como se a dela não fosse importada também. Fez isso não para proteger a indústria nacional e sim para mante-lá estagnada do jeito que está. Sem falar que muitos consumidores tentaram alguma explicação junto à ela no facebbok, Twitter e ReclameAqui e não obtiveram resposta e/ou foram bloqueados para não fazerem mais comentários.

    Ser nacionalista é querer um país melhor e isso inclui sermos tratados com respeito no papel de consumidor e desenvolvermos a indústria nacional e não apenas pegarmos peças da China e montarmos aqui.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu amigo. Gostei, assim praticamos a democracia.

      Excluir
    2. Não adianta "mandar a real" em fanboys da Caloi. Se a Elite 30 apresenta tantos problemas crônicos, de fábrica, imagina os modelos populares.

      Muitas pessoas começaram a pedalar por conta da Caloi mas seguramente muitas pessoas desistiram de pedalar por causa dos lixos que a Caloi vende e que ela chama de "bicicleta".

      A Elite 30 é um modelo para recreação, "pros" de respeito não competem com Caloi.

      Entre a Caloi Elite 30 e a GT Zaskar 2014 fico com a Zascar.

      ZOK

      Excluir
  8. A Caloi teria acertado em cheio se mantivesse o grupo Shimano Deore na Elite 30, a exemplo do que fez nas antecessoras Caloi 29er e Caloi Elite 2.7. Essa mudança pra Sram não foi legal. Eu até gosto das peças Sram, mas pela dificuldade de encontrar no mercado, acaba custando muito caro (pediram R$125 pra trocar as pastilhas de freio dianteiras do meu Elixir 1), então acho que Sram não vale à pena. Não pela qualidade, mas pela dificuldade em encontrar peças. Procuro um pedivela Sram X7 3x10 há tempos e onde encontrei, pediram R$950, o que eu achei abusivo, pois é mais caro do que um Deore XT, que é melhor e muito mais fácil de encontrar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você já viu a GT Zascar 2014? Toda Deore. Muito mais bonita e com muito menos desvalorização na hora da revenda do que a Caloi. Custa o mesmo que a Elite 30, ou seja, 3.999,00. O Adil fez uma ótima reportagem dela aqui no blog.

      Não fique acreditando em tudo que o site "Pedal" publica. O Pedro Cury vende até a alma pro diabo em troca de dinheiro, se colocar algum $$$ no bolso dele ele elogia até quadro Mônaco ou Gallo.

      Excluir
  9. Óbvio que a opinião é minha, mas eu acho que seria muito fácil fazer uma bike com bom CxB. Usariam esse mesmo quadro da China, grupo Deore (c/ freios e com disco 180mm na frente), rodas MT55 e suspensão 32mm ar. Com certeza ficaria muito boa e resolveria todos os problemas de transmissão, freios, rodas entortando, etc. E duvido que não conseguiriam manter o preço igual. A não ser que realmente o X7 cage médio tenha vindo de um arremate de estoque da Pro Parts.

    ResponderExcluir
  10. pelo preço da elite 30, cerca de 4 mil da pra montar coisa melhor.
    ela não vale esse preço pois as rodas são as mais baratas e ruins que existe, o pedivela é de 9v, os cubos são os piorzinhos da sram, freio o pior dos hidraulicos da avid, suspa meia boca, selin só tem nome pois é nada ergonomico e judia bastante mesmo se comparado com os de competiçao, o q salva são as peças leves da crank brothers e os excelentes pneus....
    ah sem falar nos ja amaldiçoado cage medio do cambio
    por 4 mil se monta uma boa bike com grupo deore 30v completo, rodas extreme (bem melhores que essa aero ai) e uma suspa de no minimo igual a da elite 30, é só pesquisar e importar algumas peças no ebay ou crc

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. 4 mil? Você está se esquecendo da grana da troca do câmbio traseiro, rodas e pedivela. Câmbio traseiro X7 cage longo + pedivela 10v + rodas Everest XC = 1,5 mil reais a mais, ou seja, 5,5 mil reais pela Elite 30.

      Tudo bem que na base de troca tem desconto, mas é certo que um bom quadro Scott ou KHS com um grupo Shimano 30v é muito mais negócio do que uma bike com estes problemas crônicos onde está escrita a palavra "Caloi" no quadro, como na caso da Elite 30!

      Atenciosamente,

      ZOK

      Excluir
  11. Olá Adil,

    Desde que comprei minha primeira MTB com 18MARCHAS, o primeiro conselho foi: " coroa maior não pode engrenar com as duas ultimas catracas maiores e a coroa menor não pode engrenar com as tres primeiras catracas menores... e ponto final!!! Segui essa regra até recentemente, pois passei usar duas coroas que pode engrenar qualquer situação de marcha... sendo CAGE medio ou longo!!!
    Sendo um mecanico maluco, notei alguns detalhes sobre o assunto transmissão. Se a pessoa optar por ficar com o cambio SRAM do jeito que veio de fabrica é só seguir a velha receita das "coroas" e seja feliz sem vergonha de trocar as marchas... Se a pessoa optar pelo Cage Longo, é melhor... porque? O cassete de 36dentes funciona melhor com o cage longo... explico:

    Com Cage Medio o cambio trabalha "esticado" demais como nas foto o que simplesmente detona o cambio e comprime a corrente entre a roldana superior com o cassetes 28/32/36dentes causando ruido, torção tanto cambio quanto da corrente e desgaste prematuro da coroa maior... ou seja destroi tudo rapidinho!!! E quando usa a coroa menor com os cassetes menores acontece do cambio ficar extremamente recuado, fazendo a corrente raspar no cage do cambio, alem de forçar da mesma forma do caso anterior. Visto que mesmo tirando os elos excedentes o problema persiste.

    O Cage Longo é o correto!!! ele bem regulado, não comprime a roldana do cambio nos cassetes e permite o uso da coroa maior com catraca maior e coroa menor com catraca menor... Mesmo assim não recomendo esses cruzamentos que vai causar as mesmas torções e desgastes!!!

    Mais corretissimo ainda... Tira a coroa maior e joga fora!!! passa usar duas coroas 36/24... 38/26... ou outra medida disponivel e seja feliz com 20SPEEDs reais!!! Quanto ao cambio dianteiro... É só usar o da linha ALIVIO mais antigo, que serve no conjunto de coroas 42/32/22... pois a curvatura do braço que muda de coroa é compativel com os sistema de duas coroas.

    Acho que a polemica é... "Quem realmente sabe usar corretamente a transmissão da bike?" Confesso que só aprendi depois que comecei a dirigir carros e associar a mudança de marcha com a rotação do motor... Fica a dica.

    Valeu galera!!!

    AleSabiáLoko - Lavras - MG

    ResponderExcluir
  12. Boa noite!?
    Alguem saberia me dizer qual o diâmetro do câmbio dianteiro? 31 ou 34.9?

    ResponderExcluir
  13. É necessário reposicionar o cambio dianteiro no tubo quando se troca as coroas e não troca o cambio?

    ResponderExcluir
  14. Ao colocar o pedivela duplo é necessário, ainda assim, diminuir a corrente?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá,

      Não dá para dizer sem medir com o próprio pedivela instalado na bike. Lembro que existe n combinações de coroas disponíveis em pedivelas duplos.

      Abs,

      Adil

      Excluir
  15. Adail, bom dia.
    O SRAM X7 da minha Elite 30 sofreu uma avaria e tenho que trocá-lo. Qual a melhor opção para substituí-lo. sem outros upgrade.abço.
    xico piaui

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Xico,

      A melhor opção seria um SRAM X-9, bem mais forte que esse X-7.

      Abs,

      Adil

      Excluir
  16. Pessoal boa noite, por acaso se colocar um pedivela Deore 2 coroas vai funcionar ?

    ResponderExcluir
  17. Galera, acabei de receber minha Elite 30, zerada na caixa, e veio com o cage longo

    ResponderExcluir
  18. O problemas que vieram: caixa de direcao é uma porcaria, roda traseira travada, sangrei um pouco o freio e resolvido.. Amanhã é só trocar a caixa e ir testar a bike na trilha!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Edson,

      Obrigado por compartilhar sua experiência.

      Abs,

      Adil

      Excluir
  19. O problema é saber usar a transmissão .... com certeza qualquer bike pode ser ela top ,nessa marcha vai ficar com a corrente frouxa . Então o problema não é o câmbio e sim quem pilota tanto a elite 30 como qualquer outra bike .

    ResponderExcluir
  20. Senhores:

    O problema já está resolvido na Elite 30 2014 !!! Com a troca do cage de médio para longo (que por sinal é a recomendação da SRAM), a corrente permanece esticada até na 30ª marcha (Coroa 22 dentes para Cassete 11 dentes).
    Notem, porém que essa é A UNICA combinação que não é necessária a sua utilização; uma vez que ela repete a relação de engrenamento Coroa 44 dentes para Cassete 22.

    Dessa forma, fica claro que a relação de 30 velocidades (que na verdade são 29 !!!) pode funcionar perfeitamente, com 9 velocidades a mais (maior escalonamento) que a relação 2x10!

    MFanno

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Mauricio,

      Obrigado pelo depoimento.

      Abs,

      Adil

      Excluir
  21. Adil, gostaria de saber algumas coisas sobre a Elite 30, pois comprei uma a um mês e sou totalmente leigo...
    Como saber se o câmbio traseiro cage X7 é longo ou médio? pra passar a bike pra 20 V, é necessário a substituição do trocador (aquele que vai no guidom)? Esse pedivela que vem na elite 30 foi feito para 9V e não 10 V como alguns aqui comentam?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Flavio,

      Se você não conseguir identificar olhando as fotos, o ideal para você saber se seu câmbio tem o cage médio ou longo, seria visitar uma loja e pedir para eles te mostrarem os dois.

      Como mostrei nesta matéria, sim, é possível transformar a transmissão em uma de 20 velocidades sem a necessidade de substituir os trocadores.

      O pedivela pode ser usado com transmissões de 9 ou 10 velocidades, nas coroas vem gravado que são compatíveis com 10V.

      Abs,

      Adil

      Excluir
  22. Boa tarde Adil, tudo bem? Primeira vez que faço uma pergunta aqui. Estou com uma duvida, coloquei 20v em minha bike ( X9 type 2 Longo + coroas 38-24 + cassete 11-36 + corrente 116 elos). Voce saberia me dizer se essa quantidade de elos é suficiente para esse conjunto? Me parece que, quando estou usando coroa 38 com cassete 36 o cambio fica muito esticado!! Agradeço desde já pela atenção e parabéns pelas matéria!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Rodrigão,

      Obrigado por participar do P29BR.

      Não saberia te dizer isso sem medir, mas imagino que 116 elos possa até ser muito, além disso existe a regulagem do B-tension conforme mencionei na matéria.

      Abs,

      Adil

      Excluir
  23. Olá, andei recentemente lendo matérias no seu site e gostei demais dos testes e explicções, parabéns!

    Estou consultando vocês porque acabo de comprar uma Caloi Elite 30 e fiquei assustadíssimo com os relatos de quebras e defeitos constantes nos freios Avid Elixir 1 e no câmbio traseiro, em virtude de a Caloi ter feito a escolha de montar e vender suas bicilcetas com o cage médio do câmbio Sram x7.

    Por outro lado ouvi falar de algumas pessoas que a Caloi agora em 2014 teria corrigido esses problemas e que a Elite 30 ter passado a vir com o X7 de cage longo? ´

    É verdade que esse problema do Cage foi corrigido pela Caloi em 2014? Como posso saber se o cage da minha bicilceta é longo ou de tamanho médio? E esses defeitos nos Avid Elixir 1 perduram até hoje?

    Finalmente gostaria de saber se valeria a pena trocar todo o conjunto SRAM da minha bicicleta por um grupo Deore completo, na loja em que comprei a minha bicicleta. Comprei a bicicleta faz menos de uma semana e ainda não fiz uso dela, então talvez eles aceitassem a troca. Tenho horror a coisas que se quebram com facilidade e nos deixam na mão. Por outro lado pretendo fazer apenas trilhas leves e estradões de terras, nada muito pesado não.

    Também não percebi se essa minha bicicleta tem rodas VZAN, pois elas vieram sem o nome dessa marca estampado nelas, trazendo simplesmente as inscrições "Elite 30" e "Disc" marcadas nela . Será que em 2014 o modelo das rodas mudou também? Nesse caso mudaram para melhor ou para pior?

    Muito obrigado e fico aguardando seu contato e opinião.

    André Teixeira

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá André,

      Obrigado por participar do P29BR!

      Não vejo os freios Avid como problemáticos, são satisfatórios no seu funcionamento, mas eventualmente podem dar algum trabalho quando montados de fábrica pela Caloi.

      Na Elite 30 2014 foi de fato adotado um câmbio de cage longo. Se você não tem conhecimento dos câmbios, conseguiria identificar por fotos qual é longo e qual é médio. De todas as maneiras, em caso de dúvida visite uma bike shop e peça para te mostrarem os dois.

      Como mencionei em outra matéria, não investiria dinheiro em uma nova transmissão. Novas rodas e suspensão fariam muito mais sentido.

      Pelo que conta das suas rodas, elas parecem ser as 2013.

      Abs,

      Adil

      Excluir
  24. Muito bom esse artigo,
    Queria saber se posso colocar um pé de vela shimano XT 2X10 38/26 175MM,utilizando os outros componentes originais da bike.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá leferson luiz,

      Obrigado por acompanhar o P29BR.

      Sim, poderá. Lembrando que o pedivela deverá estar acompanhado de um movimento central compatível.

      Abs,

      Adil

      Excluir
  25. Olá adil,
    se fizer apenas a troca das coroas da certo?
    No caso 2x10 38/26..
    Abraço
    Luiz Carlos

    ResponderExcluir
  26. Gostaria de trocar o câmbio dianteiro por um x9 2x10, ele deve ser de abraçadeira alta ou baixa? De quantos milímetros deve ser essa abraçadeira? Estou ingressado em um kit de coroas 24 e 36t da marca race face turbine, save se eles são compatíveis com esse câmbio x9 e com o pedivela original? Preciso colocar um trocador 2x10?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Paulo,

      O câmbio dianteiro deve ter diâmetro de 34.9, de abraçadeira alta.

      Se o conjunto de coroas tiver a medida BCD de 104/64mm, ele será compatível com seu pedivela original.

      Não precisa de um trocador 2x10.

      Abs,

      Adil

      Excluir
    2. Adil / Paulo...

      Sabe me dizer se posso utilizar um sram x7 de 2x10 de braçadeira baixa no lugar do original de braçadeira alta?

      Você já fez o upgrade Paulo?

      Excluir
    3. Fiz o upgrade sim... Ficou muito bom. Comprei coroas de alumínio 36/24 e o câmbio sram x9. Encortei a corrente e agora tenho 20 marchas utilizáveis, msm com câmbio de cage médio.

      Excluir
    4. Olá Douglas,

      Acredito que não haja espaço no seat tube para o cambio de abraçadeira baixa seja posicionado corretamente.

      Abs,

      Adil

      Excluir
  27. Boa tarde, mais uma pergunta. Se eu quiser trocar o pedivela e o movimento central da elite 30 quais são os tipos o de movimento central que servem nela?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Paulo,

      Vai servir qualquer central de rosca, a largura é de 68mm.

      Abs,

      Adil

      Excluir
  28. Ola Boa Noite gostaria de saber se e possivel trocar o pedevela em um shimano deore 2x10 gxp
    se a corrente original sram e compativel com o pedevela.
    Obrigado

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Rodrigo,

      Sim é possível trocar por um Deore com central de rosca. Note que a denominação GXP é exclusiva da SRAM.

      Abs,

      Adil

      Excluir
  29. Adil gostaria de lhe perguntar algo, a nova caloi elite 30 vem com aros black jack xc 29", relação com case longo e sem a grampola de selin, não sei nada sobre as novas rodas, gostaria de saber se vc tem algum conhecimento sobre essa relação de rodas. Outra, a peça mais simples no conjunto de transmissão, ao meu ver, é o pedivela que é o básico da xram, vc saberia me dizer que uma troca por um modelo Deore seria aceita pelo conjunto e se seria vantajosa em termos de performance? No caso gostaria de manter a originalidade pegando um pedivela Deore de 28-44.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Valdair,

      Não chegaram ao meu conhecimento reclamações com relação a essas novas rodas das Elite.

      Em relação ao pedivela, as transmissões 2x10 são as que mais me agradam, acredito que sim, você vai ganhar em performance. O Deore com central de rosca (Hollowtech II) é uma ótima opção, mas só vi até agora o 40-28, que usaria apenas em bikes bem leves. Para uma bicicleta mais pesada iria preferir o 38-24.

      Abs,

      Adil

      Excluir
    2. Bem realmente acho que as novas rodas devem dar conta do recado, agora com relação a transmissão, eu sou novato em aros 29, ainda não cheguei a fazer uma trilha com minha nova bike, mais normalmente eu gosto de girar com mais força do que manter ma cadência alta, dentro da cidade estou usando somente a catraca de 44 dentes com pinhão de 11 a 17. Estou pensando em usar um pedivela de 3 coroas pra poder mesclar o MTB com passeios em asfalto. Nessa linha de 3 coroas vc indicaria manter o sram original, ou substituir por um Deore? A mudança será somente pra ganho de performance e não desejo baixar o peso da bike, porém me disseram que a troca de marchas e o pedivela integrado são mais fieis.

      Excluir
    3. Olá Valdair,

      Se quer mesclar terra e asfalto, aconselharia manter o pedivela original. Não vejo necessidade em investir em outro pedivela nessas condições.

      Abs,

      Adil

      Excluir
  30. Bom dia Adil,

    Comprei a alguns meses uma Cannondale Alloy 2 29er, ela veio com 3x10 (x7 dianteiro, x9 traseiro).

    Quero passar para 2x10, o cambio dianteiro é de abraçadeira baixa por conta dos quadros da Cannondale.

    É possível fazer a alteração sem a necessidade de trocar o cambio dianteiro e trocadores?

    Desde já agradeço;

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Leandro,

      Teoricamente sim, é possível, mas de todas as maneiras somente experimentando na prática eu conseguiria te dar uma certeza.

      Abs,

      Adil

      Excluir
  31. Interessante como a Caloi distorce os fatos como borracha até que eles se moldem à sua verdade. Se toda a lorota do cage médio fosse verdadeira, ela não teria mudado pra cage longo no ano seguinte. É óbvio que aqueles câmbios com cages médios foram uma compra de ocasião, que deram algum (pequeno) aumento na margem de lucro da Caloi. Imagino que esse ganho tenha sido pequeno, mas a dor de cabeça que trouxe aos usuários foi grande. Toda a explicação da Caloi é ridícula, duvido que o próprio Diogo Porto acredita nela (acho até que ele deve ter tido vergonha de ter que fazer um papelão desses, mas sobrou pra ele justificar o injustificável). É por essas e outras que Caloi pra mim é uma marca desprezível, que só sobrevive graças à ignorância dos consumidores brasileiros. Quanto aos fan boys da Caloi, vocês tem mais é que se lascar mesmo.

    ResponderExcluir
  32. Alguém sabe me dizer qual é o movimento central utilizado na Elite 30 ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Leonardo,

      As Elites usam movimento central comum de rosca, sua concha é mede 68mm de largura.

      Abs,

      Adil

      Excluir
  33. Olá, saberia me confirmar se essas coroas Shimano Deore Slx serviram no pedivela Sram da Slite 30 para alterá-la para 2x10? http://produto.mercadolivre.com.br/MLB-704550639-coroas-mtb-shimano-deore-slx-m675-38-e-24t-2x10-bcd-104-64mm-_JM

    Outra dúvida que tenho e com relação ao funcionamento dos passadores e câmbio dianteiro, nos exemplos da matéria você fala que o câmbio mesmo sendo 3x10 se comportou bem como 2x10, nesse caso não se faz necessária a troca realmente? O funcionamento é perfeito? Obrigado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá,

      Sim, pela distância da furacão, ou o que chamamos de BCD, sim, funcionariam, contudo às vezes o encaixe não é perfeito. Seria melhor escolher coroas de alguma marca claramente compatível com SRAM, como é o caso do produto da Session.

      Quanto ao funcionamento do câmbio dianteiro, eu não diria perfeito, mas sim satisfatório.

      Abs,

      Adil

      Excluir
  34. Será que poderia usar na elite 30 um pedivela sram x7 44-32-22 9v? Acabei comprando é só depois que chegou percebi que era 9v.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Thiago,

      Sim, não vejo problemas.

      Abs,

      Adil

      Excluir
  35. Boa tarde Adil!

    Obrigado pelas suas dicas! Para eu colocar esse sran x.5 na minha elite 30, preciso trocar também o movimento central? O padrão é o Gxp?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Admin,

      Sim, precisaria trocar o central por um do tipo GXP.

      Abs,

      Adil

      Excluir
  36. Boa tarde Adil! Há pouco tempo atrás entrei pro mundo das MTB e comecei a pedalar com uma Elite 30 e desde então acompanho bastante o 29er como fonte de informações. Acontece que de um tempo pra cá penso em adquirir um quadro de carbono e estou avaliando as opções, visto que minha Caloi Elite 30 está 100% original. Minhas maiores dúvidas seriam quanto ao movimento central, que no quadro de carbono que penso adquirir tenho as opções de BB30 ou BSA. Qual devo escolher? Será compatível com o pedivela e movimento central originais da Elite 30? Ainda, quanto à caixa de direção, o quadro de carbono tem as especificações "headset size 1-1/8 to 1-1/2 Tapered Integrated". Seria este compatível com minha atual suspensão RockShox XC 30? Muito obrigado e parabéns pelas excelentes matérias!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Gustavo,

      Para que você possa aproveitar o pedivela da Elite 30, o seu novo quadro de carbono deve ter a concha do movimento central com roscas, para você poder instalar um central tipo SRAM GXP. O BB30 tem um eixo de maior diâmetro e exigiria outro pedivela.

      Para a sua suspensão ser compatível com a bike nova, seria necessária uma caixa de direção com um adaptador para a espiga reta.

      Abs,

      Adil

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Postagens Recentes no P29BR